ARQUITETURA DE ILUMINAÇÃO ************* http://www.angelaabdalla.com.br/ *********** PROJETOS LUMINOTÉCNICOS

segunda-feira, 29 de março de 2010

Iluminação Paisagística












Qual o principal critério para a boa iluminação artificial de um projeto paisagístico?

Além do aspecto cênico que deve ser salientado - destacando-se formas, volumes e cores -,devemos observar outros itens importantes, como por exemplo, não interferência na fauna local, iluminação de segurança (principalmente para ambientes residenciais), uso de luminárias e lâmpadas apropriadas para áreas externas, não ofuscamento dos usuários, consumo e manutenção.

Existe critério para a utilização de produtos como luminárias, arandelas , balizadores , postes , mini postes, projetores , espetos e outros?

O critério principal para iluminação de áreas externas é o uso de luminárias próprias para esses locais, que suportem as ações do tempo e outras agressões da natureza aos materiais aplicados. A partir daí, a escolha dos tipos de equipamento, normalmente consideram:


Spots e projetores - indicados para iluminação geral ou criar efeitos especiais, como iluminação focal. Devem ser posicionados a uma distância de 1/3 da altura do elemento a ser iluminado. Fincados na terra, os espetos são exemplos desse tipo de luminária que realça os contornos de arbustos e pequenos canteiros.

Postes - Iluminam uma área de maneira geral. É recomendável que tenham mais de 1.80m de altura para não ofuscar.

Balizadores e mini postes - Ideais para caminhos, áreas de circulação e elementos baixos, como as forrações de um jardim. Normalmente, o raio de iluminação destas peças é igual a duas vezes e meia a sua altura. Recomenda-se que tenham menos de 1.10m de altura para não incomodar os olhos. Vem crescendo muito o uso de embutidos no piso, com LEDS, próprios para demarcar percursos.

Arandelas- Também chamadas de "varre paredes", normalmente proporcionam uma iluminação indireta, onde se percebe o contorno do local. São apropriadas para fachadas, caminhos, terraços e varandas. Devem ser específicas para as áreas externas, com proteção contra o sol, água, ventos, etc. Normalmente possuem vidros temperados, fiação resistente, vedação eficiente e borrachas de pressão.


O que representa em termos práticos, "iluminação geral" e "iluminação pontual" num projeto para paisagismo?

Iluminação geral - Ilumina amplamente o local, sem destacar nenhum ponto;percebe-se o jardim como um todo. Para cada efeito existem luminárias e lâmpadas específicas.
Iluminação focal - Direcionada, conduz a atenção para um ponto específico do jardim como arbustos, esculturas e centros de interesse.
Iluminação indireta - Demarca levemente o jardim sem um foco de destaque;normalmente colocada por trás das plantas ou direcionadas para muros ou pisos.

Quais são as últimas tendências em luminárias para iluminação de jardins?

Um caminho aponta na direção do desenvolvimento tecnológico e o outro no de luminárias com materiais de origem natural, mas que, na sua obtenção na natureza não agridam o meio ambiente ou que se regeneram de forma rápida sem prejudicar a formação da espécie escolhida. Principalmente para os grandes centros, estes materiais acabam reaproximando o ser humano da natureza, devolvendo sensações psicológicas que estão se perdendo na vida moderna das pessoas.

Fonte: LA_PRO Tecnologias de Iluminação e Lighting Design


Nenhum comentário:

Postar um comentário